RENDA RENASCENÇA | PARAÍBA - BRASIL | 2015
7°47'41″S 36°39'42″O


ALTITUDE: 492 mts.
TEMPERATURA: 34°C
UMIDADE DO AR: 36%

 
... senti muita falta do meu comêzinho aqui da Paraíba, dos meus filhos e da minha renda.
— Genilda

"A primeira coisa que eu faço é: rezo, levanto e vou cuidar das coisas do dia; trabalhar na renda". Foi com essa simplicidade encantadora que Genilda, rendeira "desde sempre" (como ela mesma diz) e moradora de Cacimbinha, povoado do sertão do Cariri Paraibano, se apresentou e resumiu sua vida. Minutos antes, fomos recebidos por ela, seus filhos e sua irmã, na casa deles, com sorrisos, abraços e beijos sob olhares curiosos da vizinhança."Vamos entrando e não repare. É pequeno mas cabe todo mundo. Vamos sentando e fiquem a vontade".

Genilda é uma das 77 rendeiras da região que tiveram a oportunidade de co-criar a coleção de inverno apresentada no São Paulo Fashion Week 2015 pela estilista Fernanda Yamamoto. É também uma das escolhidas que viajaram pela primeira vez até São Paulo e desfilaram suas co-criações em meio a modelos profissionais, jornalistas especializados e grande público.

"A vida em São Paulo é muito corrida. Aquilo não é pra mim não. Tudo lá é corrido. Aquela multidão de gente pra lá e pra cá. Senti muita falta do meu comêzinho da Paraíba, dos meus filhos e da minha renda".

A simplicidade daquela mulher me fez abaixar minha câmera e ficar ali, ouvindo e observando. Sentada à minha frente e dotada de extrema sabedoria, ela estava a nos ensinar coisas simples da vida; coisas essenciais a todos.

Genilda é uma das encantáveis rendeiras que tive a oportunidade e o prazer de visitar (a convite de Fernanda Yamamoto) durante as gravações do documentário sobre o lindo trabalho que vem sendo realizado na região. As filmagens fazem parte do legado deixado pela estilista, querida por todos e, como bem falou um morador local que nos acompanhou durante nossa passagem por lá: "é gente diferente. Gente de bom coração e que só quer o bem dessa gente. Ela mudou a vida dessas mulheres. Por fim, ele emendou: Cá entre nós: ela é famosa é?"

Tive também a oportunidade de participar de um evento realizado em Congo (cidade do Cariri Paraibano), que visava apresentar para as próprias rendeiras, fotografias produzidas durante a execução do trabalho delas e no desfile do SPFW. Neste evento, elas também tiveram a oportunidade de ver, pela primeira vez, as peças finalizadas que co-criaram e uma prévia do documentário que estava sendo registrado desde o início do projeto, há seis meses.

Descrever a emoção vivida durante o período que estivemos por lá é praticamente impossível. A única palavra que consigo encontrar é "gratidão"; pela experiência e por ser brasileiro assim como Fernanda, Genilda e todas as pessoas encantáveis que encontrei por meio da nossa renda Renascença.

Por fim, prefiro encerrar com mais uma frase de Genilda, que retrata a importância da valorização de nossa própria cultura: "Nunca fiz uma peça pra mim. Sempre trabalhei para os outros. Nunca pra mim. Não tinha tempo; não tinha nem interesse. Hoje é diferente. Hoje meu sonho é fazer uma blusinha pra mim. Eu vou fazer. Minha irmã vai desenhar e eu vou fazer. Já decidi".